segunda-feira, 23 de maio de 2016

Demorou, mas chegou ao blog: O I Sarau Pocket do Alcino Edição Vânia Ribeiro Camacho!

Demorou mais de 2 meses, mas finalmente chegou ao blog, amigos leitores, alguns dos poemas e o vídeo do Sarau Pocket do Alcino Edição "Vânia Ribeiro Camacho"!
Aconteceu na quinta-feira, dia 17 de março de 2016, na região rural de Teresópolis/RJ, o I Sarau Pocket da Escola Municipal Alcino Francisco da Silva (já fazemos o Sarau Professora Rosa Amélia há tempos, mas é a primeira vez no ano [em dezembro do ano passado, também realizamos um] que experimentamos novos mini-saraus ao longo do ano letivo). Nesta primeira edição de 2016, o Sarau foi em homenagem ao Dia Internacional da Mulher e foi batizado de Sarau Pocket "Vânia Ribeiro Camacho", em homenagem a ex-aluna e excelentíssima poeta Vânia Ribeiro Camacho, que faz aniversário na mesma importante data na qual refletimos sobre as condições das mulheres no Brasil e no Mundo.
O evento contou com a participação empolgada de artistalunos da Aceleração V (Jackson Santos, Bárbara e Paulo André), dos nonos anos (Vandriele Araújo, Julia Almada, Thaís Quintieri, Vitória de Jesus e Andressa) e dos oitavos anos (Livia, Lucas Folly e Romildo) que declamaram poemas sobre a valorização da mulher e a importância da Lei Maria da Penha, além de cordéis sobre a dengue e as doenças sexualmente transmissíveis e poemas com outros temas. Também se apresentaram no evento a dupla Mariana & Jaqueline, cantando "Como Zaqueu (Entra na Minha Casa)", de Reges Danese, a capela (!), e o trio Lara Fabyann Veiga, Helen Ribeiro e Vitor Esperidião interpretando a canção "Mulher", de Projota. O sarau ainda teve a participação mais-que-especial do professor-poetatletamigo Genaldo Lial da Silva, de Educação Física, e abertura e encerramento da coordenadora pedagógica Flávia Araújo.
Deixo um agradecimento mais que especial ao Professor de Ciências Samuel Gumieri, que filmou o sarau pra mim, e a diretora Paloma, pelo super-apoio e incentivo a mais este projeto lírico-educacional.
Na postagem de hoje, além do vídeo do evento, finalmente posto também os poemas dos Poetalunos da Aceleração V sobre o Dia Internacional da Mulher e a Lei Maria da Penha, os poemas de professores-poetas e poetalunos dos nonos anos, inspirados no Dia Internacional da Mulher e nos poemas da turma de Aceleração V (incluindo nesta parte o poema de Douglas Marques, que não declamou, mas teve seu poema declamado pela Vitória) e os poemas com outros temas (cotidiano, amor, etc) de poetalunos dos nonos anos. Os poemas de Vânia Camacho preferi não repostar, pois eles já aparecem em postagens anteriores recentes e podem ser facilmente encontrados no mecanismo de busca do blog.
E, como Flávia Araújo divinamente discursou, “que venham outros saraus em 2016”!

Vídeo do Sarau Pocket do Alcino Edição "Vânia Ribeiro Camacho"


Poemas dos Poetalunos da Aceleração V sobre o Dia Internacional da Mulher e a Lei Maria da Penha



Esse homem me fere
Eu não tenho coragem de denunciar
Sou mal amada
Ele me fere de novo
Até quase me matar
Eu agora vou denunciar.
(Alisson Teodoro)

Todas as mulheres precisam
ser defendidas,
todas as mulheres precisam
ser reconhecidas.
Não tenha medo, denuncie:
você merece ser valorizada.
(Bárbara dos Santos)

Nunca bata numa mulher
E, se você vir, ligue 180
E denuncie!
É um direito das mulheres
Nunca serem feridas
Porque elas são anjos.
Enquanto estiver vivo,
Eu apoio a Lei Maria da Penha.
(Emichael de Oliveira Melo)

A minha parte

Ele me bate
Ele me machuca
Mas ele vai ver
Vou denunciá-lo
Para nunca mais apanhar

Porque se eu não fizer
A minha parte
Que é denunciá-lo
Vou continuar apanhando...

Faça a sua parte:
Denuncie.
(Cassiane dos Santos)

Uma mulher que apanha tem sim que denunciar
Um homem não pode bater numa mulher
Não tenha medo de denunciar
Se ele bateu uma vez, vai bater mais uma vez.
Não se cale!
Se você apanhar, denuncie!
(Thaís da Cunha)

No dia 8 de março,
Por seus direitos exigirem
Tragicamente cremadas elas foram.

Além de serem maltratadas,
Pisoteadas, magoadas e assediadas,
Só por suas exigências
Foram levadas a um trágico destino

Para o salário não aumentar,
O respeito não cobrar,
O patrão achou mais fácil empurrar
130 tecelãs para o fogo da morte,
O beijo do anjo mortal.

Muitos anos depois
graças a uma mulher
preciosa e corajosa
por denunciar seu marido agressor
Criaram a Lei 11.340
a lei mais decente e justa,
a lei Maria da Penha.

Instituída para ajudar e defender,
Cuidar e valorizar a mulher,
Sua importância faz com que eu diga
O que já foi dito:
A lei Maria da Penha
É para ser cumprida!
(Jackson Carvalho)

As mulheres tão lindas,
tão belas,
às vezes tão fragilizadas,
tão indefesas,
pois apanhavam todos os dias,
sem nenhum meio de se salvarem.
Mas isso acabou,
Porque alguém pode denunciar.
Hoje elas são respeitadas,
São amadas,
São as mulheres
De todos nós.
(Paulo Sérgio de Siqueira)

Diga não à violência

As mulheres hoje em dia
Apanham muito
Muitas delas não sobrevivem
A tanta violência
Devemos denunciar

Ligue 180, não se cale,
As mulheres merecem respeito
E os homens que praticam violência doméstica
Merecem pagar por isso na cadeia.

Diga não à violência.
(Flaviane Tavares Gonçalves)

Poemas de professores-poetas e poetalunos dos nonos anos, inspirados no Dia Internacional da Mulher e nos poemas da turma de Aceleração V



MULHER

Veja o quão necessário é
Fazer uma homenagem sincera
No dia internacional da mulher
Pelo valor que sempre tivera

Sem sempre foi bem tratada
Muitas vezes foi agredida
Por homens de índole deturpada
Que sua estima saiu ferida

Mas, seu valor é inestimável
Alicerce da humanidade
Seu espírito agradável
Seu ventre maternidade

Se dela nós viemos
Em seu colo embalados
No teu seio nós bebemos
E de pequenos educados

Então, quando homens feitos
Abala nossa forte estrutura
Com um a flecha em nosso peito
Nos domina com beleza e formosura.
(Genaldo Lial da Silva, 17/03/16)


A elite

Vamos marchar de salto alto,
disparar sorrisos,
derrubar o machismo,
estraçalhar sua falta de opinião,
e, por fim,
encantadoramente,
conquistar corações.
(Andressa da Silva Oliveira)

Sem você

Sem você meu coração chora
Sem te ver meu sorriso sofre
Sem te sentir meu coração vira poesia
Sem te ouvir eu não posso ficar

Tudo de amor,
Tudo de paixão
E cego de carinho.

Sem você, Mulher, eu não sou nada
Nada mesmo
Assim é meu sentimento.
(Douglas Marques – 9.º A)

Poemas com outros temas (cotidiano, amor, etc) de poetalunos dos nonos anos



Onde moro

Onde moro tem pé de abacate
Mas a fruta que eu mais gosto é tomate.
Lá tem muitas borboletas,
Ficam comigo lendo o livro de Romeu e Julieta.
Bem cedinho minha mãe me chama:
- Vem, menina, arrumar a cama!
Minha prima fica brincando de boneca,
Ai, mas que menina sapeca!
Moro perto do rio;
De lá, consigo ver a casa de meu tio.
Em casa, são todos bem-vindos,
Nós ficamos todos juntos e unidos.
No céu, voam as aves;
Todas elas vivem em nossas árvores.
Em volta, há muita lavoura,
Lá vivo diariamente como uma sonhadora.
(Thaís Quintieri – 9.º A)

Medo

Eu tinha medo de lhe perguntar
se você gostava de mim,
medo de que você dissesse que não,
medo de pensar que tudo
que aconteceu foi em vão.

Medo de pensar que o tempo
que eu tirei pra você
foi perdido,
que nada mais tivesse sentido,
que tudo fosse esquecido.

Mas você me beijou
e o vazio que eu tinha
dentro do peito
se preencheu,
o medo desapareceu
e a chama reacendeu!
(Vitória de Souza Andrade de Jesus – 9.º B)

Nenhum comentário:

Postar um comentário